This site will look much better in a browser that supports web standards, but it is accessible to any browser or Internet device.



blog0news


  • TA TUDO MUITO ESQUISITO, DEPOIS QUE VISUAL VIROU QUESITO

  • Vislumbres

    Assinar
    Postagens [Atom]

    Powered by Blogger

    Fragmentos de textos e imagens catadas nesta tela, capturadas desta web, varridas de jornais, revistas, livros, sons, filtradas pelos olhos e ouvidos e escorrendo pelos dedos para serem derramadas sobre as teclas... e viverem eterna e instanta neamente num logradouro digital. Desagua douro de pensa mentos.


    sábado, outubro 02, 2004

    ERUNDINA NEGA ACUSAÇÕES

    A candidata Luiza Erundina deu entrevista coletiva ontem negando as acusações de que ela seja a irmã bastarda do compositor Tom Jobim. Erundina enfatizou que apesar das semelhanças fisicas, eles não são parentes, embora tenham sido amigos íntimos. Revelou inclusive que Tom Jobim compos uma música inspirada nela, da qual, entusiasmada, cantou alguns trechos.



    foto de Eduardo Nicolau

    quarta-feira, setembro 29, 2004



    MARTA SUPLICY PODE SER BOA POLÍTICA
    MAS COMO DONA DE CASA...


    Num debate realizado esta semana, a atual prefeita de São Paulo, Marta Suplicy saiu-se bem no bate-boca com os demais candidatos, mas se atrapalhou toda durante o teste de conhecimentos gerais.



    Após o debate Marta protestou alegando que teria sido discriminada por ser mulher, pois a outros candidatos teriam sido colocadas questões mais fáceis.
    "Com o Serra, por exemplo, testaram seus conhecimentos de Economia. Para o Maluf a questão foi de Geografia, quando lhe perguntaram onde ficam as Ilhas Jersey!"

    Luíza Erundina apoiou o protesto de Marta, dizendo-se também discriminada.
    "A mim me perguntaram se eu tinha espelho em casa e tive que responder que eu não sabia..."

    foto de Monalisa Lins

    terça-feira, setembro 28, 2004

    AFOGANDO EM NÚMEROS

    87 milhões de brasileiros não tem rede de esgotos disponível, ou seja, estão vivendo na merda.




    Whisky - Rebella & Stoll (Uruguai, 2004) ****

    A vitalidade impressionante do cinema argentino parece que abrange também o cinema uruguaio. Whisky é realizado por uma rapaziada nova que já tinha feito o ótimo 24 Watts. Com seu segundo filme venceram o Un Certain Regard deste ano em Cannes.

    Com uma história simples, fazendo um cinema simples
    onde as cenas se repetem mecanicamente
    como a vida mecanica dos personagens
    Rebella produz um filme profundo e tocante.

    O personagem principal é um dos velhos mais poras da história do cinema. Não se interessa por nada. Quando seu irmão vem lhe visitar pede a uma empregada de sua fábrica de meias - com quem mal conversa ou repara apesar de trabalharem ali há anos - para encenar ser a sua esposa.

    É um concerto de câmara a tres sobre o tema da solidão.




    Mille et un jours - Frederic Laffont (França, 2003) ****

    Sheherazade, capturada pelo califa, contou histórias
    uma a cada noite
    e assim foi aprendendo a não ter medo do dia seguinte.
    Um correspondente de guerra, em meio à insanidade do conflito israelenses-palestinos, conta histórias, para também não ficar insano, para não temer o dia seguinte, para manter sua capacidade de se enternecer.

    Sao historias de seres humanos ilustradas por sua câmera no ombro e por fotografias de guerra.
    Tecendo essas teias como numa fábula oriental narrada numa voz onírica
    porém com imagens gráficas de violência e morte e sangue e entranhas.

    Pedras contra tanques.
    Oliveiras derrubadas no deserto.
    Adolescente sai para dançar e explode.

    Não há partidarismo nessa fábula. Os dramas dos palestinos surgem no mesmo tom que os dos israelenses. O ponto de vista é o da humanidade. É o da compaixão.
    E em termos cinematográficos embarcamos numa viagem extraordinariamente bela e bem realizada.
    Mil e Um Dias é o melhor filme visto até agora neste Festival do Rio 2004.



    COMO DAR UMA VIRADA, SE O RABO ESTÁ PRESO?

    Os que querem que Bush & sua corja se ferrem acompanham inquietos a campanha conservadora de seu concorrente John Kerry.
    Suas posições começam a ficar tão semelhantes às dos republicanos que começa a se falar em "ao invés da cópia fajuta, prefira o original fajuto".

    Tem aréas onde mesmo um americanão de direita como Kerry (que votou a favor da invasão no Iraque, logo não pode meter o sarrafo nisto) poderia pegar para espinafrar o rival.
    Por exemplo, algo que calaria fundo no coração do povo, mesmo os patriotas empedernidos:
    por que o Governo Bush nao tomou as providencias mínimas necessárias para tentar evitar ataques aéreos como os contra as torres do WTC, salvando assim milhões de vidas?
    Há indícios bastantes de pistas entregues ao Governo quanto a isto.

    Quando Clinton fez a transição para Bush, frisou que o combate ao terrorismo deveria ser prioridade.
    Só o passou a ser após o atentado 11/09 quando a corja enveredou pelo o quanto de útil isto poderia ser para seus propósitos pessoais.

    Por que o Kerry não pega pesado com isto?
    Aí é que está. (E está toda a sua campanha, e estará a sua presidência caso consiga ser eleito.)
    Existe uma carta.

    Uma carta na manga? Sim, pode ser, mas é uma carta literalmente. (Deve haver outras do mesmo teor, mas esta já é significativa).
    Brian Sullivan, agente de segurança da Federação de Aviação no aeroporto de Boston, escreveu uma carta direta ao Senador John Kerry relatando falhas na segurança do aeroporto e dizendo especificamente que estava notando um padrão que levaria a um ataque coordenado utilizando vários voos domésticos no mesmo dia.

    Um trecho da carta diz:
    Com o conceito de jihad, o senhor acha que seria dificil para determinado terrorista embarcar num avião e destruir a sim mesmo e a todos os outros passageiros. Pense no resultado de um ataque coordenado que derrubasse vários voos domésticos no mesmo dia. Com nosso sistema de revista atual, isso é mais do que provável. É quase certo.

    E relatava em detalhes como ele, com a ajuda de um repórter da TV local, tinham embarcado pessoas com facas ou outras armas por aquele aeroporto. Nas dez tentativas, conseguiram embarcar armados nos aviões em nove vezes.

    Pode ser que a carta tenha passado batido no volume de correspondencia recebido por um senador americano. Pode ser que tenha sido lido e considerado uma viagem paranóica do remetente.

    Ou pode ser também que tenha influído nisto o fato de que entre os principais financiadores do político John Kerry estejam as grandes companhias aéreas, que naquele momento combatiam ativmente a implementação de normas de segurança mais eficazes nos aeroportos devido aos custos que isto lhes acarretaria.

    É, não dá para o Kerry atacar por aí...
    E nem, quando se verifica os bastidores, por ali, por acolá, por aquele outro tópico...

    Pela COCHLEA:
    David Bowie - Alladin Sane (30th Anniversary Special Edition)

    segunda-feira, setembro 27, 2004

    .
    .

    Uncovered - Seckler & Pérez & Greenwald (EUA, 2004) ***
    Unprecedented - Robert Greenwald (EUA, 2004) **
    Control Room - Jehane Noujaim (EUA/Egito, 2004) ****

    A mostra de documentários do Festival do Rio está excelente e atualíssimo, trazendo inclusive as pontas-de-lança do onda de sucessos em documentários nos EUA, como The Corporation, Farmingville e os tres acima.
    Só não estão representados Farenheit 9/11 e Super Size Me porque já tiveram lançamento comercial no Brasil.

    A trilogia UN de Greenwald, produzida pela ONG de maior atuação anti-Bush no seio do Império, a MoveOn, tem dois filmes na Mostra (a terceira UnShredded, é sobre a Enron, e talvez foque muito assuntos locais para um festival brasileiro). Greenwald acaba de lançar um "quarto filme da trilogia", Outfoxed, sobre a cobertura ultra-tendenciosa da Fox News e a manipulação da mídia americana.

    Foi doloroso reviver em Verdade Relevada as ocorrencias iniciais da invasão ao Iraque. E extremamente revoltante, ao condensar em uma hora e meia aqueles absurdos - a montagem repetida e maquinal de mentiras re-ditas uma atrás das outras é sensacional - ainda mais pela ótica dos fatos posteriores que ainda vivemos, com a revolta atual.

    É um docu porrada mas não um libelo de esquerda como Michael Moore. É um levantamento factual, com os dados apresentados inclusive por depoentes que seriam considerados como de centro ou de direita. Mas pessoas sensatas. Ou então gente que entende do serviço (de guerra ou de espionagem) e sente-se ultrajada pela barbárie ou desfaçatez dos atuais poderosos.

    Sem Precedentes enfoca a roubalheira que foi a eleição americana de 2000. A gente sabe desses fatos, mas vê-los enfileirados e analisados - e acrescidos de informações inéditas - é também nauseante.
    Um filme extremamente pertinente quando se aproximam as eleições de 2004 - tanto que esta é o Remix-2004, visando alertar o publico.

    (Interessante é que estes dois filmes foram produzidos tendo em vista primordialmente a exibição pela internet - na rede de conscientização americana)

    Central Al Jazeera é um docu de enorme impacto e um dos pontos altos de todo este festival. Noujaim estava no lugar certo na hora certa e acompanhou a invasão do Iraque dos estúdios locais da AlJazeera. Inclusive quando esses estúdios foram bombardeados pelos invasores, com a morte comovente de um repórter.
    Comovente é pouco para este filme dramático e contundente e irônico.
    Enfoca inclusive o lado do invasor como o do invadido (porta-voz do exercito americano é um dos principais personagens). Aliás, também um terceiro lado:o dos jornalistas.

    Ver esses filmes um atrás do outro formou um painel interessante.
    Mas saio do cinema para ler as noticias que apontam re-eleição de Bush & camarilha neo-con !!!

    adendo

    Recomendo enfaticamente os sites dos filmes para quem quiser apreender mais informa�§�µes

    Different Channels, Different News

    Truth Uncovered

    Unprecedented



    Pela COCHLEA: Tori Amos - I don~t like mondays

    VEM TRETAÍ

    Jimmy Carter avisa:
    vão armar de novo na Florida.



    PALAVRAS

    A vida é uma charrete tocada pelo chicote da desgraça.

    Fulke Greville

    domingo, setembro 26, 2004




    Farmingville - Catherine Tambini & Carlos Sandoval, 2003 ***
    Un Dia Sin Mexicanos - Sergio Arau. 2004 ***
    Persons of Interest - Alliston McLeane & Tobias Perse, 2003 **

    Dia para abordar a questão dos chicanos (e de outros imigrantes)
    Farmingville é um excelente documentário que vem fazendo sucesso no circuito dos novos documentãrios americanos. Acompanha dois anos na vida de uma comunidade que se transforma com a chegada de ilegais mexicanos em busca de emprego. Os americanos xenófobos querem se livrar deles, mas ao mesmo precisam deles para as tarefas meniais que eles mesmos não querem mais fazer. As exaltações se inflamam e se espraiam para virar questão nacional.

    Cenas explícitas de demência americana. Um povo louco de pedra.
    Destaque para as teorias de que os mexicanos querem retomar suas terras que os americanos conquistaram e expulsar todos os americanos (depois de estuprr suas mulheres, é claro)
    (E isto ocorre a poucos km da cosmopolita Manhattan, não nos cafundós dos retardados comedores de milho.)
    Mas o docu mantém sua linha de reportagem e coloca com absoluta e louvável isenção os pontos de vistas de todos os lados.
    Houve um debate muito interessante com a diretora ao final da sessão, conduzida pelo Padilla do Onibus174.

    (o site do filme tem farto material extra sobre a questão)


    Escrevi acima que os americanos querem expulsar os mexicanos mas ao mesmo tempo precisam deles para sua economia de exploração e lucro máximo....e o segundo filme mostra exatamente isto.
    Um Dia sem Mexicanos usa a linguagem do humor e do escracho para detonar petardos políticos contundentes.
    Certo dia a população da California acorda e todos os mexicanos desapareceram sem deixar traços. Tudo entra em colapso, evidentemente.

    A sátira do filme cobre vários lados além desta questão, a falsidade dos políticos e a ganancia da mídia e a violencia da polícia. Misturando imagens de arquivo (colocadas em outra situações, como potocas em movimento) com cenas filmadas num tom de hiper-realismo, é muito, muito engraçado.


    O tema de Pessoas sob Suspeitas também é interessante e pertinente: depoimentos de pessoas que foram detidas nos EUa sem motivo a não ser a de terem nomes ou aparência árabes e que ficaram presos por mais de um ano e tiveram suas vidas destruídas.
    Um retrato apurado do estado policial autoritário em que se transformou a Amerika, com toda sua arrogância de land of the free...

    Para terem idéia: com algum tempo de cadeia, a repressão inventa alguma alcunha para atachar aos condenados. Suspeita de Terrorismo, Suspeita de Financiar Terrorismo, Suspeita de Simpatizar com o Terrorismo e... Suspeita Indefinida! Ou seja, o elemento é suspeito de ser suspeito! Sem maiores justificativas...

    As provas contra os detidos são igualmente surreais: um exemplar do Al Corão encontrado em sua casa... um bilhete de entrada no World Trade Center onde um empresário levou colegas do exterior para passear há alguns anos...

    O filme são basicamente depoimentos destas pessoas filmadas como se estivessem numa sala de interrogatório (com técnicas idem). Se cinematograficamente isto fica pobre, confere tensão aos fatos.

    (o site tem as historias dos depoentes, interessantes de se ler mesmo para quem nao viu o filme - recomendo ir lá)





    PALAVRAS

    Amaldiçoado seja aquele que constrói sua casa através da iniquidade, e dispõe os cômodos pela injustiça; que utiliza o trabalho do próximo sem pagá-lo, e sem lhe dar emprego.
    Teus olhos e teu coração só existem para tua cobiça, e para verter sangue inocente, e para a opressão, e para a violência.


    Jeremias 22:13,17


    e o blog0news continua…
    visite a lista de arquivos na coluna da esquerda
    para passear pelos posts passados


    Mas uso mesmo é o

    ESTATÍSTICAS SITEMETER